Especialidades

A equipe Neuron sabe quanto é importante a constante atualização e divulgação de conhecimentos junto às comunidades acadêmicas. Fazendo parte das atividades científicas promove mensalmente reuniões com as ligas acadêmicas de neurocirurgia da UNP e UFRN no Natal Hospital Center. As reuniões constituem momentos para apresentação de artigos científicos, aulas teóricas e apresentação de casos em conjunto com radiologistas e Neuropatologistas. Têm sido reconhecida como uma das mais produtivas reuniões científicas em Neurologia e Neurocirurgia da cidade.

Complementando as reuniões científicas projetos de extensão e pesquisa são desenvolvidos junto com conceituadas instituições como a UFRN, UFPE e UNP, além do instituto de Neurociências de Natal. Os Projetos focam em diversos temas como doença de Parkinson, Hidrocefalias, espasticidade, avaliação neuropsicológica e cirurgias de nervos periféricos. Desse trabalho surgem publicações científicas já aceitas em periódicos especializados.

Neurocirurgia de Nervos Periféricos

A cirurgia do sistema nervoso periférico é uma área de atuação da neurocirurgia focada no tratamento, das lesões das estruturas neurais após deixarem o crânio ou a coluna vertebral. Isto é, os nervos periféricos e cranianos. Este tratamento pode consistir na reparação da lesão (traumática ou compressiva), se possível, exérese tumoral, ou em procedimentos com finalidade de obtenção de movimentos que permitam reabilitação funcional (transferências neurais).

Apesar de se relatar um esboço desta área de atuação desde o século 19, seu avanço ocorreu no século 20 com a microscopia cirúrgica e estabelecimento de suas técnicas, com seu firmamento no século 21. Mas, suas limitações ainda carecem de maior desenvolvimento de conhecimento científico a respeito da reparação neural.

O trauma hoje se constitui grande enfermidade que acomete o sistema nervoso periférico (fora do arcabouço ósseo), sendo freqüentes as lesões de plexos braquiais em acidentes de motocicletas, acidentes domésticos com vidros (crianças, por exemplo), agressões com armas diversas. Menos freqüentes estão as paralisias braquiais do neonato. Neste contexto a cirurgia do sistema nervoso periférico se propõe a reparar, quando possível, ou promover a reabilitação.

Não se deve esquecer a importância das síndromes compressivas, como a prevalente "síndrome do túnel do carpo", nem das relacionadas a hanseníase.

Esta é uma muito breve e superficial explanação sobre o assunto. No site vocês encontrarão outras explicações simples sobre as principais afecções do Sistema Nervoso Periférico.


Neurocirurgia pediátrica

A neurocirurgia pediátrica representa uma área da neurocirurgia que trata as doenças neurológicas no grupo pediátrico que necessitam de cirurgia, como as hidrocefalias em suas variadas apresentações, mielomeningoceles, cranioestenoses e os tumores cerebrais na infância. Além disso, devido à experiência adquirida no tratamento de crianças, permite uma abordagem mais específica em doenças neurológicas que não são exclusivas de crianças, como os tumores cerebrais, epilepsias e lesões de nervos periféricos.

Trabalhamos com conceituada equipe de apoio de anestesistas especializados em crianças, neuropsicólogos direcionados para a avaliação dos resultados cirúrgicos, oncologistas e fisioterapia voltada às nossas necessidades. Tudo isso faz substancial diferença nos resultados.

O aparecimento da neuroendoscopia e o surgimento de técnicas novas de monitorização como a neuronavegação e a avaliação neuropsicológica pré e pós-operatória permitem hoje melhores resultados funcionais com boa sobrevida dos pacientes. Estamos à disposição para qualquer dúvida ou opinião conforme email em anexo.


Neurocirurgia Vascular

Neurocirurgia Vascular - É uma subespecialidade da neurocirurgia dedicada ao tratamento de pacientes portadores de isquemia ou hemorragias.

Neurocirurgia Endovascular e Imagem: Trata-se de uma subespecialidade da Neurocirurgia vascular. Nesse caso, os procedimentos são realizados de forma minimamente invasiva, a maior parte através de uma punção na artéria femoral (virilha) ou, na impossibilidade desta, da artéria braquial ou radial, no braço.

Através desses vasos(artérias), temos acesso a quase todas as artérias do corpo, possibilitando estudar suas anormalidades (aneurismas, malformações arteriovenosas, tumores, vasos ocluídos) e tratá-las (recanalizar vasos ocluídos, embolizar aneurismas com espirais metálicas e ocluir malformações arteriovenosas, sejam elas cerebrais ou medulares) Estes procedimentos fazem parte das chamadas cirurgias minimamente invasivas.

Os procedimentos endovasculares são realizados numa sala especial, denominada suíte endovascular ou angiográfica, onde encontra-se o angiógrafo – que é o aparelho que permite a visualização e magnificação das imagens arteriais e venosa, utilizando contraste iodado, na presença da radiação X. São realizados com a presença de médico anestesiologista, quer para sedação ou alguns, sob anestesia geral.


Cirurgia da Coluna Vertebral

A equipe Neuron, através de seus profissionais, está capacitada a atuar no acompanhamento e tratamento das diversas patologias da coluna vertebral, sejam de origem mecânica, degenerativa, traumática, inflamatória, neoplásica, congênita ou infecciosa.

baixar artigo completo

Neurocirurgia Funcional

Esta é uma área da neurocirurgia cuja atuação visa melhorar uma função de uma área do sistema nervoso cuja integridade anatômica está preservada. Graças aos avanços recentes da neuroanatomia, hoje o melhor conhecimento das funções de cada estrutura anatômica cerebral é muito precisa e permite ao profissional especialista determinar que local está afetado funcionalmente naquele paciente . Desde o século passado, técnicas como a estereotaxia e a neuronavegação permitem a localização daquelas estruturas com a máxima precisão, tendo como referência exames de imagem como a ressonância magnética e a tomografia de crânio. Hoje é uma das áreas da neurocirurgia em franca expansão. Como doenças em que a neurocirurgia funcional é capaz de tratar podemos citar: Parkinson e outros distúrbios de movimento, epilepsia, tremores, distonias, espasticidades, dor , obesidade e transtornos psiquiátricos.


Neurocirurgia oncológica

Área da neurocirurgia responsável pelo tratamento e acompanhamento pós-operatório das lesões tumorais que acometem o Sistema Nervoso Central (cérebro e medula).

O tratamento destes tumores em sua grande maioria, se não a totalidade, envolve algum procedimento cirúrgico, nem que seja para confirmação diagnóstica. A necessidade do neurocirurgião se faz presente em tumores que vieram inicialmente de outros órgãos para ossos do crânio ou coluna (tireóide, próstata, por exemplo), para o próprio cérebro (rim e pulmão, por exemplo), ou tumores próprios do cérebro, medula e de suas membranas de revestimento (meninges). Os tumores dos nervos periféricos geralmente são tratados pela área responsável por doenças relacionadas aos mesmos, mas poderiam estar aqui incluídos.

No tratamento podem ser empregados a já consolidada técnica microcirúrgica (microscópio cirúrgico), bem como técnicas mais novas como a neuroendoscopia, estereotaxia, neuronavegação, aspiração ultrassônica e monitorização eletrofisiológica intra-operatória, por exemplo. Todos estes avanços atualmente disponíveis objetivam a melhoria dos resultados cirúrgicos, mas possuem indicações e podem não ser aplicados em todos os casos. O contínuo estudo (atualização) e a promoção do conhecimento científico relacionado a genética tumoral, como também das terapias adjuvantes (quimioterapias e radioterapias) proporcionam uma indicação mais precisa e coerente, portanto ética, do tratamento proposto. Consulte seu médico para maiores esclarecimentos do assunto.